Advertisement

Sukhoi Su-57 de dois lugares tem patente registrada na Rússia

Patente registrada em novembro indica que a Rússia ainda tem interesse no Su-57 de dois lugares, mesmo que para exportação.

Enfrentando uma crise econômica acelerada pela invasão na Ucrânia, a Rússia está avançando no desenvolvimento de seu primeiro (e único) caça de 5ª geração, o Sukhoi Su-57. Na última semana o conglomerado estatal United Aircraft Corportation (UAC) conseguiu registrar a patente para a versão de dois lugares do jato “invisível aos radares”. 

O documento RU No. 280764 foi aprovado pelo Serviço Federal de Propriedade Intelectual no último sábado (17), embora tenha sido originalmente submetido ao órgão em maio deste ano. A patente descreve o Su-57 como uma “aeronave multifuncional de dois assentos […] com um complexo de equipamentos a bordo”, para “detectar e destruir alvos aéreos, de superfície e terrestres em velocidades de voo super e subsônicas em uma ampla gama de altitudes, bem como atuar como um posto de comando aerotransportado para operações orientadas em rede de grupos mistos de aeronaves.”

Imagem: Serviço Federal de Propriedade Intelectual da Rússia.
Imagem: Serviço Federal de Propriedade Intelectual da Rússia.

Uma das missões atribuídas ao Su-57 de dois lugares é posto de comando aéreo, como destacado pela própria patente. O cockpit traseiro está “equipado com controles para transferência de prioridade de controle de um piloto para outro e pelo menos dois indicadores panorâmicos multifuncionais para controle da aeronave e das armas”, indica a patente. 

Imagem: Serviço Federal de Propriedade Intelectual da Rússia.
Imagem: Serviço Federal de Propriedade Intelectual da Rússia.

Como sugerido no passado, o tripulante do assento traseiro pode desempenhar uma série de funções, incluindo a de gerenciar outras aeronaves no campo de batalha, tripuladas ou não. A Rússia vem trabalhando na integração do Su-57 com o drone S-70 Okhotnik, também stealth, e que deverá atuar ao lado do jato tripulado de forma autônoma.  Países do Ocidente como EUA e Reino Unido também tem investido nessa tecnologia, comumente chamada de “Ala Leal”. 

Embora a patente só tenha sido registrada nos últimos dias, já se fala de uma versão biplace do Sukhoi Su-57 desde quando o jato russo ainda era chamado pelo seu nome de projeto, T-50 PAK-FA. No entanto, esse era um desejo da Índia e não da Rússia. 

Sob o programa FGFA, os indianos participariam do desenvolvimento e mais tarde comprariam o então T-50, incluindo numa versão de dois lugares para treinamento. A Índia, no entanto, ficou insatisfeita com a demora no projeto, abandonando a parceria em 2018. Nova Déli optou por investir no desenvolvimento de seus próprios aviões stealth. 

Projeção artística do FGFA (T-50 PAK FA indiano) com dois assentos.
Projeção artística do FGFA (T-50 PAK FA indiano) com dois assentos.

Em 2021 a Rússia voltou a falar sobre um possível Su-57 biplace, novamente com olhos para o mercado de exportação.

De qualquer forma, quem saiu na frente foi a China, que está voando uma versão de dois lugares do Chengdu J-20. Spotters flagaram o jato em uma base aérea em 2021, mas o avião não foi apresentado oficialmente até hoje. 

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.

 

Avatar

Autor: Gabriel Centeno

Estudante de Jornalismo na UFRGS, spotter e entusiasta de aviação militar.

Categorias: Militar, Notícias, Notícias

Tags: Rússia, SU-57, Sukhoi, usaexport