Advertisement

Pilotos de caça da Ucrânia usam simulador DCS World para treinar no F-16

Piloto de caça da Ucrânia utilizando o F-16 no simulador DCS World. Imagem: UAF/ Reprodução.

Antecipando a entrega de caças F-16 Fighting Falcon por países da OTAN, pilotos de caça da Força Aérea da Ucrânia (UAF) estão usando o simulador de voo DCS World para treinar. Através do software, que pode ser adquirido por qualquer um, os aviadores podem se familiarizar com o avião antes do treinamento com o jato real. 

A própria UAF divulgou a iniciativa através de um vídeo publicado na última quarta-feira (27). Nele, um piloto de Su-27 Flanker, apelidado de Adrii, explica que ele e os demais aviadores usam o DCS, com o módulo do caça norte-americano, enquanto não estão combatendo a Rússia. 

“Todos nós entendemos que o futuro pertence às aeronaves F-16, ou a outras aeronaves que nossos parceiros nos fornecerão”, explica o jovem piloto, falando sobre a eventual transferência dos caças, prometida pela Holanda, Noruega e Dinamarca. “É por isso que precisamos treinar agora, aprender o equipamento da cabine, o sistema de armamento e seu emprego.”

 

Em seguida ele segue para o simulador, junto de outro piloto. O equipamento é relativamente simples, consistindo apenas de um óculos de realidade virtual, pedal, joystick HOTAS com manche e manete de potência. Enquanto Adrii voa o F-16 no simulador aparentemente em uma missão contra defesas antiaéreas inimigas , seu colega fica ao seu lado passando instruções. 

O simulador DCS World é um software gratuito, mas alguns aviões (como o próprio F-16), chamados de módulos, são pagos. Ainda que possa ser adquirido por civis, o aplicativo é reconhecido justamente por seu alto nível de fidelidade comparado aos modelos reais. Nos EUA e França, pilotos de A-10 Thunderbolt II e Mirage 2000 usam versões militarizadas do jogo para treinar.

Leia mais: Esquadrão Harpia – Brasileiros vencem torneio internacional de combate aéreo no simulador DCS

 

Segundo a UAF, os simuladores foram instalados em todas as bases aéreas, permitindo um contato antecipado com o avião, ainda que de forma limitada e digital. “[Os sistemas] nos permitem fazer o melhor uso do tempo livre de treinamento para retreinar para as aeronaves de nossos parceiros”, diz Oleksii Diakiv, do Comando de Treinamento da UAF. 

Caça F-16 da Força Aérea dos EUA durante exercício na Ucrânia
F-16 da ANG do Alabama durante um exercício na Ucrânia em 2011. Foto: ANG.

Conforme o portal The War Zone, mesmo que existam diferenças entre o F-16 do simulador e o modelo real, o uso do DCS é eficaz para familiarização geral e algum treinamento processual dos militares. Um dos aspectos mais importantes é se acostumar com o sidestick, uma vez que o manche nos caças MiG-29, Su-27 e Su-25 usados pela Ucrânia fica entre as pernas, enquanto no F-16 o instrumento está no lado direito do piloto.

Ainda de acordo com o site, na recente conferência da Associação das Forças Aéreas e Espaciais, o tenente-general da Força Aérea Michael Loh estimou que levaria cerca de nove meses para os pilotos ucranianos recém-saídos do treinamento básico aprenderem a pilotar F-16. Para aqueles com experiência em combate, porém, “acho que três meses são absolutamente realistas”, disse ele.

Esta também não é a primeira vez que a Ucrânia usa DCS World para treinar pilotos. Ainda em 2022 alguns pilotos usaram o software para uma breve adaptação ao A-10, embora os EUA nunca tenham sinalizado a transferência dessa aeronave para Kiev. 

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.

 

Avatar

Autor: Gabriel Centeno

Estudante de Jornalismo na UFRGS, spotter e entusiasta de aviação militar.

Categorias: Militar, Notícias, Notícias

Tags: DCS, F-16, Guerra na Ucrânia, Simulador de voo, usaexport