Advertisement

F-35 Frankenstein: mecânicos unem peças de caças stealth danificados em acidentes

Nariz de F-35 que pegou fogo em 2014 será unido com fuselagem de caça stealth que perdeu o trem de pouso em 2020. Foto: USAF.

Dois caças stealth F-35 Lightning II poderão voltar a voar de forma diferente. As aeronaves envolvidas em acidentes há quase 10 anos serão transformadas em uma só, numa espécie de jato frankenstein, totalmente operacional.

A árdua tarefa está sendo realizada por um grupo de técnicos e mecânicos especialistas na aeronave, com ferramental especial e apoio da Base Aérea de Hill, do Escritório Conjunto do Programa F-35 (JPO) e da fabricante do caça, a Lockheed Martin. O  projeto está em fase avançada, com previsão de entrega para 2025.

Segundo a Força Aérea dos EUA (USAF), os militares analisaram a viabilidade da tarefa e decidiram trazer as aeronaves de matrícula AF-27 e AF-211 de volta as condições de voo. 

O AF-211 perdeu o trem de pouso frontal em um incidente em junho de 2020, enquanto o AF-27 sofreu danos extensos na fuselagem por conta de um incêndio no motor. Assim, o nariz do jato incendiado será encaixado à fuselagem do F-35 que perdeu o trem de pouso. “Isso é inédito no programa F-35 e um projeto muito interessante”, disse Dan Santos, gerente de manutenção pesada do JPO.

A “missão” é parte de um esforço do JPO, que nos últimos anos tem buscado novas oportunidades para reaproveitar peças e sistemas utilizáveis ​​de aeronaves F-35 danificadas, para uso contínuo e benefício para a manutenção e operações do caça stealth. 

Esse será o primeiro F-35 Frankenstein da história. Foto: USAF.
Esse será o primeiro F-35 Frankenstein da história. Foto: USAF.

Com base na experiência adquirida em vários projetos recentes de reaproveitamento de aeronaves de resgatadas – incluindo a instalação do primeiro centro de treinamento de mantenedores do F-35 usando seções de aeronaves recuperadas, bem como a restauração parcial de uma fuselagem de F-35 recuperada para uso como um Treinador ABDR – o JPO está agora dando um passo adiante.

O escritório aproveitou esta rede recém-criada de profissionais qualificados, recursos e instalações, todos localizados em Hill, para realizar o projeto “Franken-bird”. O Complexo Logístico Aéreo de Ogden desempenhou um papel significativo ao fornecer espaço de hangar e equipamentos pesados ​​para o projeto.

“É preciso uma equipe para que esse tipo de empreendimento seja bem-sucedido”, disse Santos. “Estou muito impressionado com os esforços colaborativos das diversas agências da Base Aérea de Hill, trabalhando juntas para que isso aconteça.”

Keith White, oficial da 388ª Ala de Caça, disse que embora o jato seja propriedade da unidade, ainda faz parte de um contrato do JPO do F-35, e a Lockheed é a empresa responsável pelo trabalho.

“O trabalho começou na viabilidade deste projeto em janeiro de 2020, quando o JPO nos procurou porque já havíamos concluído os grandes projetos de restauração de danos para o F-22”, disse Scott Taylor, engenheiro mecânico chefe da Lockheed Martin. .

No entanto, ao contrário dos projetos anteriores, Taylor disse que esta iniciativa se destaca devido à sua documentação meticulosa, que será usada para estabelecer procedimentos padronizados do F-35 que podem ser perfeitamente integrados nas operações de rotina no futuro.

“Todas as seções da aeronave podem ser desacopladas e reacopladas teoricamente, mas isso nunca foi feito antes”, disse Taylor. “Este é o primeiro F-35 Frankenstein até hoje. Isso é história.”

Aeronave deverá voltar a voar em 2025. Foto: USAF.
Aeronave deverá voltar a voar em 2025. Foto: USAF.

Para completar o trabalho no local em Hill, ferramentas, acessórios e equipamentos especializados inteiramente novos e exclusivos foram projetados e construídos, especificamente adaptados para a mobilidade. Estes têm potenciais utilizações futuras no exterior.

“Projetamos ferramentas versáteis que cabem perfeitamente em uma caixa Conex, tornando-as transportáveis ​​para vários locais, incluindo áreas de operação avançada”, disse Taylor.

Esses novos acessórios móveis alcançam os mesmos resultados que grandes gabaritos de fabricação automatizados e estacionários na fábrica do F-35 em Fort Worth, Texas, mas com uma nova abordagem. A capacidade adicional beneficiará todo o programa F-35.

“O programa F-35 ainda é jovem em comparação com todas as fuselagens legadas”, disse Dave Myers, engenheiro-chefe da equipe de suporte do F-35.

“Este projeto não apenas devolverá um recurso de combate ao combatente, mas também abrirá a porta para o reparo de futuras aeronaves acidentadas usando ferramentas, equipamentos, técnicas, e conhecimento que vem sendo desenvolvido”, disse Santos.

Com informações de DVIDS

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.

 

Avatar

Autor: Gabriel Centeno

Estudante de Jornalismo na UFRGS, spotter e entusiasta de aviação militar.

Categorias: Militar, Notícias, Notícias

Tags: F-35, Frankenstein, manutenção, stealth, usaexport, USAF