Advertisement

Ex-piloto de caça dos EUA é preso na Austrália; aviador trabalhou na China

AV-8B Harrier II do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA (USMC)

Um ex-piloto de caça do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA (USMC) foi preso na Austrália na sexta-feira (21) a pedido do FBI. O norte-americano, que trabalhou em uma empresa aeronáutica da China, pode ser extraditado. 

Daniel Edmund Duggan, 54 anos, foi preso pela Polícia Federal Australiana na cidade rural de Orange, aponta a Reuters, citando fontes policiais e registros judiciais. Ainda não se sabe quais as acusações contra o ex-militar, mas fontes da agência afirmam que o FBI pediu a prisão de Duggan por conta de trabalhos realizados por ele na China.

Durante seu tempo como piloto do USMC, Duggan atuou como instrutor de combate aéreo e voava o AV-8B Harrier II, um jato de ataque reconhecido mundialmente por sua capacidade de decolar e pousar verticalmente. O modelo é operado pelos EUA, Itália e Espanha. 

Ele se mudou para a Austrália onde fundou a Top Gun Australia, que oferece serviços para civis voarem em aeronaves militares. A empresa, também conhecida por Top Gun Tasmania, usa os jatos L-39, BAc Jet Provost, e o monomotor chinês Nanchang CJ-6, uma evolução do Yak-18 soviético. 

Em 2014 Duggan foi para a China, vendendo a Top Gun em seguida. Conforme seu perfil no Linkedin, ele assumiu o cargo de diretor administrativo da AVIBIZ Limited em Qingdao. A companhia é definida como uma “uma empresa de consultoria de aviação abrangente, com foco no rápido e dinâmico setor de aviação chinês”. A Reuters aponta que os registros da empresa de Hong Kong mostram que a AVIBIZ foi registrada lá por Duggan em 2017 e dissolvida em 2020.

Jatos L-39 e Jet Provost da Top Gun Australia, fundada pelo piloto de caça dos EUA.
Jatos L-39 e Jet Provost da Top Gun Australia, fundada pelo piloto de caça dos EUA.

A prisão do aviador e ex-cidadão norte-americano ocorreu na mesma semana em que a inteligência britânica emitiu um alerta sobre a China estar recrutando pilotos e ex-pilotos da Força Aérea Real como instrutores.

Os relatos sobre os pilotos britânicos coincidem com outros similares sobre pilotos de demais países da OTAN, que também foram contatados pela China ou por terceiros. Este esforço de Pequim tem se estendido por anos, mas segundo a BBC, tem aumentando nos últimos meses. 

Duggan foi levado para a prisão de Bathurst, onde aguarda uma audiência no tribunal de Sidney em novembro, para considerar um pedido de fiança. De acordo com o tratado de extradição da Austrália com os Estados Unidos, Washington terá 60 dias para fazer um pedido de extradição.

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.

 

Avatar

Autor: Gabriel Centeno

Estudante de Jornalismo na UFRGS, spotter e entusiasta de aviação militar.

Categorias: Militar, Notícias, Notícias

Tags: China, Piloto de Caça, usaexport